Chefe do Departamento Econômico e Comercial da Embaixada Argentina se despede do posto e apresenta seu sucessor

Em visita ao presidente do Sistema Fecomércio-DF, José Aparecido Freire, o ministro Rodrigo Bardoneschi, chefe do Departamento Econômico e Comercial da Embaixada da Argentina em Brasília, despediu-se do posto nesta semana. Ele aproveitou o encontro para apresentar seu substituto, o conselheiro Patrício Violini, que está há cerca de quatro meses na capital e prometeu dar sequência à parceria e projetos desenvolvidos ao longo da última gestão

Foto: Pedro Santos.

No balanço da missão de cinco anos, Bardoneschi destacou a reativação da Câmara de Comércio Argentino-Brasileira do Distrito Federal, em junho de 2022, cuja presidência está sob o comando da Fecomércio-DF desde então. Após a retomada dos trabalhos, foram realizadas três importantes rodadas de negócios nas áreas de alimentos e bebidas, autopeças e agropeças, além do evento MALBEC DAY voltado para compradores brasileiros. A missão do Sesc-DF para o país vizinho também contou com apoio da embaixada.

“Essa visita ao presidente Aparecido serve para ratificar os projetos desenvolvidos até agora e dizer que trabalharemos para fortalecer nossas relações bilaterais em diversas áreas. Em breve faremos um evento voltado para o turismo e novas rodadas de negócios, não só em Brasília, mas também em Goiânia, Amazonas e Belo Horizonte. Pretendemos ainda abrir espaço dentro da embaixada para estudantes universitários em projetos de estágio na área de comércio internacional. Para isso, esperamos contar com o apoio do Instituto Fecomércio-DF”, afirmou Bardoneschi.

O presidente José Aparecido destacou a importância da embaixada da Argentina para o setor produtivo da capital. “A aproximação com o ministro Bardoneschi foi a primeira dentre todas as embaixadas ao longo da minha gestão à frente do Sistema Fecomércio-DF. Com ele, aprendemos muito sobre como desenvolver projetos e parcerias, além de alcançar bons resultados”, explicou Aparecido.

O futuro ministro-chefe da área comercial da embaixada argentina garantiu que dará sequência ao trabalho de seu antecessor. “Daremos continuidade à tarefa do ministro Bardoneschi, que criou esse importante relacionamento com nosso principal parceiro comercial, que é o Brasil. A atuação dele aqui em Brasília é um caso de êxito que merece ser continuado e aprofundado”, afirmou Violini.

Segundo a embaixada da Argentina, em 2023, houve aumento de US$ 1,4 milhões em produtos argentinos importados pelo DF. Um dos motivos foi a criação do Programa de Sócios Logísticos Estratégicos no Brasil. O Programa oferece desconto a empresas brasileiras que realizam importações vindas da Argentina por meio dos sócios logísticos. Entre eles estão trading companies, portos secos, portos marítimos e empresas de distribuição logísticas. Ao todo, são mais de 20 sócios nas cinco regiões brasileiras, aptos a realizarem o processo de importação com um valor especial pelas operações vindas do país vizinho.

Entre os produtos mais importados pelo Distrito Federal em 2023 estão aparelhos mecânicos, artigos de plástico, vinhos, farinha de trigo, compostos químicos e alho. Já em 2022 as importações contenplaram trigo e farinha de trigo, aparelhos mecânicos, vinhos, compostos químicos e batatas congeladas.

As exportações do DF para a Argentina também cresceram. Passaram de U$ 1,95 milhão, em 2022, para U$ 2,3 milhões, em 2023. Entre os principais produtos estão soja, querosene de aviação, conversores para motores elétricos, aparelhos digitais e ferramentas automotoras, aparelhos de radiotelecomando, antenas, entre outros.

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper