PF consegue imagens inéditas de jóias do governo brasileiro comercializadas ilegalmente por Bolsonaro em Miami

Reprodução/O Globo - Fotos Públicas

PF obtém provas sobre venda ilegal de joias de Bolsonaro em Miami


A Polícia Federal conseguiu imagens inéditas e depoimentos que confirmam detalhes sobre a venda e recompra ilegais das joias que compunham o chamado "kit ouro branco", apropriado irregularmente pelo ex-presidente Jair Bolsonaro durante visita oficial à Arábia Saudita em 2019.

As novas provas, obtidas em diligências realizadas nos Estados Unidos com apoio do FBI, apontam a participação de uma pessoa não identificada anteriormente na operação clandestina. O inquérito, que investiga a apropriação e venda ilegal das joias que pertencem ao acervo da Presidência, está em sua fase final.

O "kit ouro branco" inclui anel, caneta, abotoaduras e um rosário islâmico cravejados de diamantes, avaliados em pelo menos R$ 500 mil. As imagens obtidas mostram as joias expostas na loja "Goldie's", em Miami, antes de serem recompradas.

De acordo com relatório policial, o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, Mauro Cid, foi responsável pela venda e posterior recompra dessa parte do material. Os agentes conseguiram ainda imagens dos anúncios para revenda dos itens.

A PF realizou 16 dias de diligências nos EUA para finalizar as investigações sobre o caso, que ganhou repercussão nacional após a revelação de que Bolsonaro tentou trazer ilegalmente para o Brasil joias de diamantes destinadas ao acervo presidencial.

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper