Escola em Santa Maria se destaca no combate à dengue com repelente natural

O CEF Sargento Lima adotou uma abordagem prática e educativa para engajar os alunos no combate à dengue | Fotos: Mary Leal/ SEEDF

Estudantes do CEF Sargento Lima produzem o composto com citronela colhida na própria instituição, seguindo todos padrões de segurança exigidos


Por Agência Brasília* | Edição: Carolina Caraballo

Uma iniciativa inovadora do Centro de Ensino Fundamental (CEF) Sargento Lima vem desempenhando papel fundamental na conscientização e prevenção contra a dengue. Com o objetivo de combater a proliferação do Aedes aegypti e proteger a comunidade escolar, a instituição adotou uma abordagem prática e educativa, organizando oficinas de preparo de repelente natural à base de citronela. A ideia tem sido uma estratégia eficaz para engajar os alunos e capacitá-los a se protegerem contra picadas do mosquito.

O repelente natural, feito com ingredientes simples como álcool, cravo-da-índia e folhas frescas de citronela, tem se mostrado uma alternativa acessível e segura para a proteção contra a dengue. De acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, difusores e aromatizadores de ar à base do capim citronela atuam como repelentes naturais do mosquito Aedes aegypti.

O estudante Nycolas Chagas Mendes, 13 anos, compartilha sua experiência. "É muito legal esse projeto e isso vai poder ajudar muitas pessoas, inclusive meus amigos. O repelente que estou fazendo, vou dar de presente para um amigo da igreja que está com dengue. Espero que ele fique bem logo", conta o aluno.

O professor de biologia da escola Jerbal José de Araújo lembra a importância do projeto e ressalta que a escola segue as normas e padrões de segurança recomendados pelas autoridades de saúde, além de promover ações de conscientização e limpeza para combater a dengue.

O estudante Nycolas Mendes vai presentear um amigo com o repelente natural
O estudante Nycolas Mendes vai presentear um amigo com o repelente natural

"Começamos o projeto de citronela há aproximadamente três anos, e agora, nesse período de aumento dos casos de dengue, essa iniciativa se tornou ainda mais relevante. Ao longo deste ano, a escola realizou oficinas com cerca de cem alunos, servidores e professores, totalizando quatro turmas", explica Jerbal. "A iniciativa faz parte de um esforço mais amplo da comunidade escolar para proteger não apenas os estudantes, mas também suas famílias e a vizinhança."

A escola do campo CEF Sargento Lima se destaca como um exemplo de engajamento na luta contra a dengue, demonstrando que a educação e a conscientização são ferramentas poderosas na prevenção de doenças.

*Com informações da Secretaria de Educação

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos
Comper