Prêmio Transformação Digital na Saúde destaca 15 soluções inovadoras

Prêmio Transformação Digital na Saúde reconheceu 15 soluções inovadoras em cinco categorias | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF
Prêmio Transformação Digital na Saúde reconheceu 15 soluções inovadoras em cinco categorias | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Servidores da SES-DF participaram com 14 iniciativas. Uma delas ficou em primeiro lugar da categoria em que concorreu


Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Prêmio Transformação Digital na Saúde destaca 15 soluções inovadoras
Servidores da SES-DF participaram com 14 iniciativas. Uma delas ficou em primeiro lugar da categoria em que concorreu

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Soluções e iniciativas aplicadas em serviços, processos ou políticas públicas para o Sistema Único de Saúde (SUS) foram reconhecidas pelo Prêmio Transformação Digital na Saúde no encerramento da 6ª Feira de Soluções para Saúde. A iniciativa premiou 15 propostas no evento, promovido pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O reconhecimento – que tem o objetivo de incentivar a disseminação de inovações e soluções que produzam resultados positivos para a sociedade, especialmente no DF – ocorreu por categoria. Uma das 14 iniciativas apresentadas por servidores da SES-DF – O uso de Sistemas de Informações Geográficas (SIG) para vigilância e enfrentamento da dengue na Atenção Primária – ficou em primeiro lugar na categoria Políticas Públicas de Saúde Digital no SUS.

A proposta V4H venceu a categoria Complexo Econômico e Industrial da Saúde 5.0. Em Sistemas de Inteligência Artificial na Saúde, a primeira colocada foi a iniciativa denominada Proadsess. Já na categoria Pesquisa, desenvolvimento e inovações na transformação digital, ganhou a proposta JUDJe. Por fim, em Educação e Sociedade na Era da Saúde 5.0, a solução OpenCare 5G saiu vencedora.

“Precisávamos muito deste momento para reunir nossos esforços. Quando começamos a mobilizar o nosso servidor para pensar fora da caixa, através da transformação digital, conseguimos fazer mais com os mesmos recursos”, reforçou o subsecretário de Planejamento em Saúde da SES-DF, Rodrigo Vidal da Costa, sobre a importância do evento para que soluções sejam pensadas especialmente pelos próprios servidores, que estão na ponta do atendimento e entendem os recursos disponíveis.

A diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, ressaltou a vocação da feira para diálogo e troca de ideias entre diferentes agentes. “Um espaço democrático que acolhe ideias e iniciativa, abrindo espaço para que possamos ir mais longe com tudo que podemos dividir e compartilhar.”

Além da premiação das soluções vencedores, o encerramento da feira teve o anúncio das dez equipes que passarão para a próxima etapa da Hackatona SUS Digital. Após a fase de recursos, o resultado final deve ser divulgado em 5 de dezembro, segundo o edital.

“Elas idealizaram propostas para solucionar problemas que a SES-DF apresentou. A próxima etapa é a incubação, que contará com o olhar de quem está trabalhando na ponta e de técnicos que tratarão da tecnologia para a incorporação”, explicou o coordenador da 6ª Feira de Soluções para Saúde, Wagner Martins.

Entre as soluções inscritas na feira, 14 foram elaboradas por servidores da SES-DF e incluíam inovações tecnológicas nas áreas de planejamento, monitoramento e gestão.

Soluções realizadas pelos servidores:

→ Importação de ações ambulatoriais para RAAs
→ Aplicativo para monitoramento da subnotificação de sífilis
→ Uma nova abordagem para o cálculo de cobertura vacinal de covid-19 no DF: aplicação do Power Bi
→ Automação de processos de negócio
→ ConectSUS: Conheça suas funcionalidades e saiba como obter a Carteira Nacional de Vacinação Digital
→ Aplicativo NND-Fiscalização Contrato
→ Aplicativo para monitoramento e seguimento de sífilis em gestante
→ Painel: Gestão de custos – SES/DF
→ Sistema de gestão de credenciamento e habilitação
→ Desenvolvimento institucional: do plano estratégico à inteligência organizacional
→ O uso de sistemas de informações geográficas (SIG) para vigilância e enfrentamento da dengue na Atenção Primária
→ Painel de monitoramento de caso de câncer do colo de útero
→ Relatório gerencial e quadrimestral de custos – RGGC
→ Painéis de monitoramento e avaliação de indicadores estratégicos.

*Com informações da SES-DF

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos